Suspensão dos objetivos de 2020 para as principais empresas do CAC 40

  •   23/03/2020 - 14h53
  •   HARMANT Adeline

Várias grandes companhias francesas advertiram num comunicado de imprensa emitido na segunda-feira que não seriam capazes de cumprir as suas metas para 2020 ou que reduziriam significativamente os seus investimentos para enfrentar a crise do coronavírus.

Comece a negociar on-line
76.4% das contas de clientes particulares perdem dinheiro, ao transacionar CFDs com este provedor. Deve ponderar se compreende como funcionam os CFD e se pode correr o risco elevado de perder o seu dinheiro.
Suspensão dos objetivos de 2020 para as principais empresas do CAC 40

Os anúncios são cada vez mais numerosos esta manhã:

O Grupo Airbus anunciou assim que vai cancelar as suas previsões para 2020, tendo em conta a volatilidade da situação actual, e decidiu também não pagar dividendos aos seus accionistas para 2019. Na sequência deste anúncio inicial, outras empresas do CAC 40 também expressaram a sua opinião a este respeito, o que suscita receios sobre os piores efeitos da actual crise de saúde na economia francesa.

Em particular, o grupo Vinci anunciou que não registará um aumento nas suas receitas e lucros este ano e ao contrário dos anos anteriores. De facto, o grupo está a sofrer o impacto total da epidemia de coronavírus nos seus locais de operação e aeroportos em todo o mundo.

 

Uma redução nos investimentos e na redução de custos:

Outras empresas, além de anteciparem uma queda nas receitas, antecipam também uma redução drástica nos seus investimentos. Este é o caso de Saint-Gobain, que cancelou as suas previsões para 2020 e está a adiar os seus possíveis projectos previstos para os próximos meses.

Este é também o caso do grupo Vinci, que vai limitar as suas despesas nos aeroportos, e do grupo Total, que também planeia, de acordo com o comunicado de imprensa publicado esta manhã, reduzir os seus investimentos em mais de 20%. Este último, além de ser impactado pelo coronavírus, está também a sofrer os efeitos da queda do preço do petróleo, devendo assim reduzir os seus investimentos em cerca de três mil milhões de euros e congelar a maioria dos seus recrutamentos.

 

Os outros grandes grupos que estão a rever ou a suspender as suas previsões :

O grupo Schneider Electric também está muito exposto à crise e também alertou que suas previsões foram suspensas para 2020, considerando que seus objetivos não eram mais relevantes e depois de já ter expressado reservas em suas previsões publicadas em fevereiro.

Deve-se notar, no entanto, que a maioria dos grupos que comunicaram desta forma esta manhã também tiveram o cuidado de tranquilizar os mercados quanto à sua solidez financeira e alguns deles anunciaram, em particular tendo contraído empréstimos em grande escala, como a Airbus, que obteve uma nova linha de crédito e que dispõe agora de 30 mil milhões de euros de liquidez em comparação com os 20 mil milhões anteriores.

Após estes vários anúncios, o CAC 40 caiu novamente após uma ligeira recuperação durante o fim-de-semana. O CAC 40 perdeu 4% do seu valor durante a primeira hora da sessão de segunda-feira. Airbus perdeu mais de 10%, Vinci mais de 5%, Saint-Gobain mais de 6%, Total quase 3% e Schneider quase 7%.