Sector aéreo deverá sofrer com o Coronavirus em 2020

  •   21/02/2020 - 12h06
  •   HARMANT Adeline

O Coronavírus pode custar à indústria aérea mais de 30 bilhões de dólares até 2020. Foi de facto isso que a Associação Internacional de Transporte Aéreo anunciou esta manhã. O comunicado de imprensa emitido na sexta-feira, 21 de Fevereiro, menciona a possibilidade da primeira queda mundial nas reservas aéreas desde a crise da SRA, em 2003. Vamos descobrir juntos os detalhes desta notícia.

Sector aéreo deverá sofrer com o Coronavirus em 2020
Direitos autorais da imagem: Michel Curi - Flickr

30 mil milhões em perdas para o sector da aviação em 2020:

Num comunicado de imprensa publicado na quinta-feira, 21 de Fevereiro, a Associação Internacional de Transporte Aéreo ou IATA explicou que a epidemia do Coronavírus chinês pode custar às companhias aéreas quase 30 mil milhões de euros em 2020. 27,8 mil milhões deste montante dizem respeito a empresas que operam na Ásia-Pacífico.

Este défice deve-se, naturalmente, às restrições ligadas a este vírus e à diminuição do número de passageiros, estimado em mais de 8,2% para o ano em curso, em comparação com 2020 e para esta região. Se a isto acrescentarmos o provável impacto nas companhias aéreas do resto do mundo, estimado em quase 1,5 mil milhões de euros, as perdas totais deverão aproximar-se dos 29,3 mil milhões, como salienta a associação. Também indica que este é um período particularmente desafiador para a indústria aérea mundial.

 

A primeira desde a crise da SRA em 2003 :

Também como parte de seu anúncio, a associação expressa sua preocupação de que a crise do coronavírus possa levar a uma redução do número de reservas para o ano.espera-se que a indústria seja a maior do mundo em 2020, a primeira desde 2003 e a crise que atingiu a indústria nessa altura com a epidemia da SRA. O Diretor Geral da Associação Internacional de Transporte Aéreo disse: "Estimamos que o tráfego global será reduzido em 4,7% pelo vírus, o que poderá mais do que eliminar o crescimento que tínhamos previsto anteriormente".Esta situação terá um impacto financeiro nas companhias aéreas que será severo para aqueles particularmente expostos ao mercado chinês, e os governos têm um papel importante a desempenhar nesta crise".

 

É provável que as acções se movimentem para baixo este ano :

Entre as companhias aéreas que deverão ser mais afetadas em 2020 estão, naturalmente, a Air France KLM, mas também a British Airways, Air Canada, Lufthansa e Delta, que já suspenderam seus vôos para a China continental.

O grupo Air France KLM já estimou ontem que a perda de receitas devido à suspensão dos voos para este destino seria entre 150 e 200 milhões de euros.

Deve-se lembrar também que a epidemia de coronavírus começou na região de Wuhan, no centro da China, e já ceifou mais de 2.100 vidas desde a sua detecção, incluindo 8 fora do território chinês. Actualmente, mais de 74.500 pessoas foram infectadas com o vírus.