Previsões da Adidas reveladas para 2020

  •   11/03/2020 - 17h22
  •   HARMANT Adeline

Acabamos de tomar nota, nesta quarta-feira, 11 de março de 2020, dos resultados anuais do grupo Adidas para o ano de 2019, sem grandes surpresas em relação às expectativas, mas especialmente, das previsões do grupo para o ano de 2020 e para o primeiro trimestre do ano corrente. Propomos-lhe que descubra aqui mais informações sobre esta notícia, bem como algumas dicas para trocar este valor.

Negocie a ação Adidas!
76.4% das contas de clientes particulares perdem dinheiro, ao transacionar CFDs com este provedor. Deve ponderar se compreende como funcionam os CFD e se pode correr o risco elevado de perder o seu dinheiro.
Previsões da Adidas reveladas para 2020
Direitos autorais da imagem: Pittaya - Flickr

Um aumento nas vendas anunciado pela Adidas como sua meta para 2020:

Após a publicação dos resultados anuais do Grupo Adidas esta manhã, que foram marcados em 2019 por um aumento de mais de 16% no lucro líquido para 1,98 bilhões de euros, o grupo anunciou seus principais objetivos para 2020.

Em relação aos resultados do ano passado, notamos um aumento de 7,9% nas vendas para 23,64 bilhões de euros e um aumento no lucro operacional para 2,7 bilhões de euros, ou seja, um aumento de 12,4%.

Para as previsões para o ano corrente, o grupo prevê que as vendas ajustadas pelos fatores cambiais aumentem entre 6 e 8%, com o lucro líquido das operações contínuas também crescendo de 10 a 13%.

 

Perdas significativas na China no primeiro trimestre de 2020:

No mesmo comunicado de imprensa, o grupo também anunciou que espera perder entre 800 milhões e um bilhão de euros na Grande China para o primeiro trimestre de 2020 e por causa da epidemia de coronavírus, que levou a uma queda nas vendas de mais de 80% entre 25 de janeiro e o final de fevereiro.

Após este anúncio, as ações da Adidas registraram uma queda de cerca de 3,3% esta manhã e depois mergulharam ainda mais para baixo, atingindo 202,35 euros, uma queda de 8,4%. Desde 19 de Fevereiro, o fabricante alemão de equipamentos sofreu uma queda de 30,9%, principalmente devido à sua forte exposição ao mercado asiático, que é o seu maior mercado e que se encontra paralisado há quase um mês.

Deve-se lembrar que só o mercado chinês permitiu ao grupo alemão registrar mais de 2,1 bilhões de euros de faturamento no primeiro trimestre de 2019. Da mesma forma e no mesmo período, o lucro operacional do grupo tinha atingido 819 milhões de euros e, portanto, deveria cair para 400 a 500 milhões de euros no primeiro trimestre de 2020, de acordo com as indicações dadas pelo grupo em seu comunicado de imprensa. Este último especificou também que o impacto total desta crise sanitária no ano 2020 ainda não é realmente quantificável, em particular devido àincerteza significativa em relação, em particular, à trajetória da recuperação na China e ao impacto desta crise sobre outras economias e sobre a disponibilidade de matérias-primas.

Por isso, vamos acompanhar com interesse as próximas publicações com os resultados trimestrais do grupo antes de tomarmos uma posição.