Mercados financeiros diminuem em meio a temores pela China

  •   10/02/2020 - 16h14
  •   HARMANT Adeline

Durante esta primeira sessão da semana, assistimos a um novo declínio nos principais mercados bolsistas europeus, mesmo quando o governo chinês anunciou um abrandamento parcial das medidas contra o coronavírus e a reabertura de algumas fábricas na China. De fato, as preocupações ainda parecem ocupar as mentes dos investidores sobre uma possível propagação da epidemia para o resto do mundo.

Negocie o Eurostoxx 50 sem mais demora!
76.4% das contas de clientes particulares perdem dinheiro, ao transacionar CFDs com este provedor. Deve ponderar se compreende como funcionam os CFD e se pode correr o risco elevado de perder o seu dinheiro.
Mercados financeiros diminuem em meio a temores pela China

Uma actualização sobre o desenvolvimento dos vários centros financeiros na Europa.

Na abertura desta sessão, na segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020, o índice bolsista parisiense CAC 40 caiu 0,59%, com uma cotação de 5.994,21 pontos. O índice FTSE 100 London Stock Index perdeu 0,24% enquanto o índice alemão DAX 30 caiu 0,49%.

Quanto aos outros índices europeus, o Eurostoxx 50 caiu 0,51%, o índice FTSEurofirst perdeu 0,25% e o índice Stoxx 600 perdeu 0,5%. O índice tinha ganho 3,32% do seu valor durante a semana anterior, o que representa o seu melhor desempenho em uma semana desde novembro de 2018.

 

O coronavírus chinês ainda alimenta os medos:

Existem agora 908 mortes ligadas ao coronavírus e mais de 40.000 casos de contágio, de acordo com os últimos relatórios de Pequim. O balanço é portanto agora mais elevado do que o alcançado pela SRA em 2003. No entanto, as autoridades chinesas levantaram algumas das restrições à actividade empresarial e às viagens no país. Deve-se também notar que as autoridades econômicas e monetárias deste país continuam a monitorar o impacto do vírus e alguns especialistas acreditam agora que o governo poderia considerar baixar suas taxas de juros para apoiar a economia.

No entanto, estes vários elementos supostamente positivos não parecem tranquilizar os mercados. De facto, alguns analistas acreditam que o coronavírus é o principal sinal de aviso para a maioria dos investidores no início desta semana e que os investidores estão preocupados com o aumento do número de mortes na China e com o facto de os empregados não poderem voltar ao trabalho. A reabertura das fábricas suscita receios de um aumento da contaminação e, portanto, de um aumento da epidemia.

O custo total desta epidemia de coronavírus pode chegar, segundo os números publicados por empresas de pesquisa, a mais de 280 bilhões de dólares para a economia mundial só no primeiro trimestre deste ano de 2020.

No entanto, vamos manter a calma que reinou nos mercados na segunda-feira, mas que provavelmente vai deixar espaço para mais agitação com as publicações do Índice de Preços ao Consumidor na quinta-feira, Vendas no Varejo na sexta-feira para os Estados Unidos, e a primeira estimativa de crescimento para o quarto trimestre na Alemanha e o resto da zona do euro na sexta-feira também.