Devemos temer um impacto do surto do Coronavírus na bolsa de valores?

  •   22/01/2020 - 16h58
  •   Adeline HARMANT

Após a sessão de ontem, os principais mercados financeiros, incluindo o CAC 40, terminaram em baixa, nomeadamente devido aos receios sobre a epidemia do Coronavírus na China, que pesou sobre alguns stocks nos sectores dos bens de luxo e das companhias aéreas. Saiba mais sobre como terminou a sessão de ontem e as probabilidades de evolução a médio prazo.

Negocie sobre o Dow Jones!
80.5% das contas de clientes particulares perdem dinheiro, ao transacionar CFDs com este provedor. Deve ponderar se compreende como funcionam os CFD e se pode correr o risco elevado de perder o seu dinheiro.
Devemos temer um impacto do surto do Coronavírus na bolsa de valores?

Uma sessão no vermelho por causa dos medos sobre este surto:

A primeira coisa que notámos ontem foi que a maioria das bolsas europeias terminou a sessão no vermelho na terça-feira, 21 de Janeiro, devido à preocupação com as prováveis consequências da epidemia de vírus corona que actualmente afecta a China.

O CAC 40 perdeu 0,54% para 6.045,99 pontos, o FTSE 100 perdeu 0,53% e o DAX 30 ganhou 0,05%. Quanto ao índice Eurostoxx 50, ele perdeu 0,26% no total.

É preciso lembrar que esta epidemia já ceifou seis vidas na região de Wuhan, como disse hoje o prefeito da cidade. No país, mais de 291 pessoas foram infectadas com o vírus. Uma reunião de emergência também será realizada hoje na sede da OMS para determinar se o surto representa uma emergência de saúde pública internacional.

É evidente que este tipo de epidemia pode ter um impacto negativo na procura de certos produtos e serviços e afectar o sector das viagens em particular.

 

Quais são os valores mais afectados por esta epidemia?

São sobretudo os valores do sector do luxo que têm sido afectados por esta notícia, uma vez que dependem muito do crescimento na China. Entre as ações que apresentaram perdas significativas entre as maiores perdas no CAC 40 estão a ação Kering, a ação LVMH e a ação Hermès.

Da mesma forma, as ações da indústria de viagens, incluindo as das companhias aéreas, também sofreram com essas preocupações devido a uma queda nas viagens para a Ásia poucos dias antes do Ano Novo Chinês. Entre essas ações estão a Lufthansa, que perdeu 3,38%, a British Airways, que perdeu 2,95% e a Air France KLM, que vendeu 2,61%.

É claro que o mercado europeu não é o único que sofreu com esta ameaça desde que o índice Dow Jones caiu 0,07% e o S&P 500 0,06%.

As ações mais afetadas nos EUA são as de companhias aéreas como Delta Airlines, United Airlines e American Airlines, que perderam todas entre 3,7 e 3,36%. Finalmente, notamos a queda em certas ações expostas ao mercado chinês, como Las Vegas Sands, que perdeu 3,94%, e Tapestry, que possui a marca Kate Spade, que caiu 1,21%.