Analisar a cotação do ouro ao vivo

O estudo do preço do ouro, portanto do seu valor, é indispensável para qualquer investidor que queira investir no mercado das matérias-primas. Com efeito, esse preço é justamente o elemento no qual você vai apostar, seja para a alta, seja para a baixa, e cuja evolução determinará seus lucros. Seguem algumas recomendações para realizar uma análise da cotação do ouro ao vivo, levando em consideração os dados técnicos, mas também os dados fundamentalistas que têm uma influência direta sobre as movimentações desse tipo de ativo.   

75% das contas de clientes particulares perdem dinheiro, ao transacionar CFDs com este provedor. Deve ponderar se compreende como funcionam os CFD e se pode correr o risco elevado de perder o seu dinheiro.

Nossas recomendações para negociar sobre ouro

Analisar a cotação do ouro ao vivo

Dentre os dados que mais influenciam os preços do ouro, encontram-se:

  • O valor do dólar: Já que o ouro é cotado em dólares, um dólar alto tende a reduzir as compras de ouro e, portanto, puxar a cotação do ativo para baixo. Inversamente, um dólar baixo favorece os investimentos, e portanto, faz subir o preço do ouro;
  • A saúde financeira dos países importadores: Quanto mais forte a economia dos grandes países importadores, mais os investimentos em ouro serão elevados, o que levará a uma alta dos preços;
  • O nível de risco dos outros mercados financeiros: O ouro sendo um valor refúgio, observa-se frequentemente um aumento dos investimentos nesse ativo quando os outros mercados financeiros, e notadamente a Bolsa de Valores apresentam riscos ou demonstram instabilidade. Assim sendo, é interessante tomar posição em momentos de crise.

Portanto, você deve considerar esses elementos, bem como outros dados históricos, para realizar uma boa análise dos preços e do valor do ouro.

Serviço de CFD. 75% perdem dinheiro

 

O que determina o preço do ouro?

Calculado em dólares por onça, o preço do ouro é um dos mais voláteis por motivo de suas fortes variações seja a curto ou longo prazo. Tais variações se devem a diversos fatores que puxam seu valor para cima ou para baixo.

Evidentemente, antes de tudo, é a diferença entre a demanda e a oferta de ouro no âmbito mundial que determina o valor real da onça de ouro em um dado momento. No entanto, a demanda também é influenciada por vários elementos.

É essencial, portanto, levar em conta diversos fatores para fazer uma análise correta da cotação do ouro, entre os quais:

  • Os dados técnicos, com a utilização dos principais indicadores gráficos que lhe permitirão conhecer a força e o sentido de uma tendência, bem como antecipar os fortalecimentos ou as reversões dessas tendências;
  • Os dados fundamentalistas, com a análise dos diversos fatores suscetíveis de influenciar a cotação do ouro num sentido ou no outro. 

 

Análise pertinente da cotação do ouro ao vivo:

Para fazer uma análise pertinente da cotação do ouro ao vivo, é preciso escolher um gráfico atualizado em tempo real. De outra parte, você deve escolher o momento em que você vai realizar tal análise. Efetivamente, o mercado de ouro é muito mais ativo em certos períodos do que em outros, como aos fins de semana, por exemplo, em que ele apresenta uma volatilidade menor.

Tampouco pode se negligenciar o tipo de gráfico a utilizar. Se você negocia ouro em curto prazo, você deverá privilegiar os gráficos em 5 minutos com candlesticks, mais preciso quanto às micro tendências. Ao contrário, se você optar pelo médio ou longo prazo,prefira os gráficos históricos por hora, ou dia.

Dentre os indicadores mais confiáveis no que diz respeito à análise da cotação do ouro ao vivo, veja os meios de análise que lhe aconselhamos:

 

 Análise fundamentalista do ouro ao vivo:

Não esqueçam tampouco que a análise fundamentalista é tão importante quanto a análise técnica. É recomendado, também, além dos gráficos em tempo real, estar conectado a um calendário econômico de qualidade que lhe indicará os eventos econômicos importantes do dia.

Para encontrar mais informações acerca dos elementos suscetíveis de influenciar a cotação do ouro, recomendamos de bem escolher sua plataforma de trading de CFD. Com efeito, as corretoras oferecendo esse tipo de contrato sobre o ouro colocam frequentemente à disposição dos investidores informações cotidianas da atualidade acerca desse mercado. Nelas você encontrará explicações em tempo real sobre os eventos em andamento ou para vir que possam ter alguma influência sobre a evolução do preço do precioso metal. Você poderá também escolher de assinar um fio de informação.

 

Como identificar a tendência do preço do ouro?

Para especular com eficácia na cotação do ouro, é indispensável saber identificar uma tendência a fim de saber se é o bom momento de vender, comprar ou manter suas posições. Para ajudá‑lo(a) nesta avaliação, lhe propomos de descobrir detalhadamente neste artigo como identificar a tendência do preço do ouro, bem como as diversas tendências que você pode observar no mercado, por meio dos gráficos financeiros oferecidos gratuitamente pelas corretoras.

 

As diversas tendências do preço do ouro e sua representação gráfica:

Como para qualquer outro ativo, pode‑se diferenciar três grandes tipos de tendências no preço do ouro, a saber, uma tendência baixista, uma altista e uma neutra (horizontal).

  • Uma tendência altista é caracterizada por uma curva ascendente mais ou menos acentuada de acordo com a força da mesma;
  • Uma tendência baixista, inversamente, se caracteriza por uma curva descendente, também mais ou menos acentuada;
  • Finalmente, uma tendência neutra, ou horizontal, será representada no gráfico por um traçado achatado ou marcado por alguns micro movimentos, o que significará certa indecisão.

Evidentemente, é preferível tomar uma posição de compra sobre o ouro no início de uma tendência altista, ou na venda no início de uma tendência baixista. Recomendamos não tomar posição no caso de uma tendência horizontal.

 

Como antecipar uma tendência sobre o preço do ouro?

Como acabamos de ver, o melhor momento para tomar posição sobre a cotação do ouro, seja de compra, seja de venda, é o início de uma tendência altista ou baixista, respectivamente. Mas é preciso, para tanto, poder antecipar o início dessas tendências. Diversos métodos existem para lograr tal identificação.

O primeiro método, provavelmente o mais simples, consiste em esperar o início real de uma tendência para tomar posição. Contudo, será preciso conferir a força de tal tendência. Um início de tendência altista ou baixista que acompanha um evento econômico forte tem maiores chances de perdurar e se amplificar. Uma tendência também pode ser muito forte quando a tendência anterior atingiu um patamar crítico antes de reverter‑se.

O que nos conduz ao segundo método de antecipação de tendência de preço sobre o ouro. Este consiste em utilizar esses momentos psicológicos, representados pelos pontos de pivô ou os níveis de suporte e resistência.

  • Um ponto de pivô é um nível de preço suscetível de induzir uma forte mudança de tendência para a subida ou a queda da cotação;
  • Um nível de suporte, é o nível baixo crítico de uma tendência baixista. Sua ultrapassagem levará a uma aceleração da queda e sua resistência uma reversão altista;
  • Um nível de resistência, inversamente, é o nível alto crítico cuja ultrapassagem leva a um prosseguimento altista e sua resistência a uma reversão baixista.

 

Onde consultar gráficos da cotação do ouro em tempo real?

Se você deseja consultar gráficos financeiros de qualidade sobre o ouro, a melhor coisa é cadastrar‑se numa corretora on‑line que lhe permitirá, ao mesmo tempo, especular na cotação do metal precioso e acompanhar sua evolução ao vivo e em tempo real.

Os gráficos dos brokers apresentam inúmeras vantagens, dentre as quais a de permitir a visualização dos principais indicadores técnicos e personalizar os painéis de visualização. Em poucos cliques, você poderá visualizar rapidamente os sinais de compra e de venda em diversos períodos e, assim sendo, implementar estratégias mais precisas sem você precisar efetuar análises complexas e avançadas.

Aliás, os brokers on‑line lhe indicarão de forma ainda mais direta suas previsões sobre essa cotação por meio de sinais de qualidade. No entanto, é fortemente recomendado cadastrar‑se numa corretora devidamente credenciada que respeite a legislação em vigor em seu país, tais como os brokers que apresentamos neste site. Dessa forma, você terá a garantia de investir numa plataforma de trading de qualidade, integrando os gráficos completos e personalizáveis sobre o ouro, lhe permitindo investir de forma simples e eficiente na cotação do precioso metal.

No entanto, não esqueça de utilizar a análise técnica dos preços do ouro em paralelo a uma análise fundamentalista que integre as atualidades econômicas do setor. Você encontrará também essas atualidades junto a sua corretora que lhe fornecerá informações de qualidade em tempo real.

 

Como efetuar uma análise gráfica sobre o ouro?

Agora que você sabe como acessar esses gráficos, vai ser preciso interpretá‑los. Com efeito, os investidores em ouro se baseiam muito sobre os sinais técnicos para tomarem posição. Portanto, será interessante saber interpretar os diversos indicadores para prever as futuras tendências. Para tal, recomendamos, de preferência, utilizar os níveis de suporte e resistência que informam geralmente pontos de partida para o prosseguimento ou a reversão de uma tendência conforme são ultrapassados ou não pela cotação. O método das médias móveis também pode ser interessante.

Contudo, e qualquer seja o indicador técnico que você utilizar, você não deve esquecer de consultar os dados fundamentalistas, como o valor do dólar, que também influenciam muito as tendências de cotação do ouro.

 

Ferramentas e funcionalidades úteis para analisar a cotação do ouro:

Se não for um ‘expert’ em finanças, nem especialista do mercado de ouro, talvez se pergunte se possui a capacidade de realizar pessoalmente uma análise correta da cotação do precioso metal e implementar estratégias rentáveis. Felizmente, a maioria das corretoras on‑line que oferecem CFD sobre o ouro disponibilizam aos seus usuários ferramentas e funcionalidades práticas que lhes permitem antecipar da melhor forma as futuras variações da onça de ouro. Veja a lista das ferramentas que deve utilizar:

  • Os gráficos personalizáveis: Muito simples de compreender e interpretar, os gráficos financeiros da cotação do ouro lhe permitem visualizar ao vivo um ou vários indicadores técnicos dentre os mais utilizados pelos investidores. Ao multiplicar esses indicadores, você terá mais possibilidade de detectar uma tendência forte e duradoura, ou uma provável reversão dessa tendência;
  • O calendário econômico: Essa ferramenta lhe permite ter uma visão de conjunto sobre os principais eventos esperados em curto ou médio prazo na esfera financeira e econômica. Ali, você encontrará vários dados úteis para a análise da cotação do ouro, tais como as decisões dos grandes bancos centrais ou a evolução da taxa de juros do dólar americano;
  • Os sinais de trading: Várias plataformas de trading regulamentadas oferecem aos seus clientes sinais de trading ao vivo sobre vários ativos, incluindo o ouro. Trata‑se de sinais de compra ou de venda obtidos por meio de um algoritmo que analisa a cotação do ouro ao vivo e determina o sentido mais provável de sua evolução em curto prazo. Um índice de confiabilidade indica o grau de confiança de cada sinal;
  • As atualidades em tempo real: Algumas informações importantes podem influenciar a cotação do ouro de forma muito acentuada. Você poderá, por intermédio de sua corretora, escolher um fluxo de informação ao vivo concernente aos eventos relacionados ao ouro;
  • O trading social: Finalmente, citamos os módulos de trading social que são ferramentas cada vez mais procuradas pelos investidores iniciantes. Estes permitem, de fato, seguir ao vivo as posições tomadas pelos melhores investidores e até copiar de forma automática essas posições. Assim sendo, nem precisa mais você mesmo realizar as análises.

Finalmente, a análise da cotação da onça de ouro ao vivo está ao alcance de todos. Com efeito, basta saber utilizar as boas ferramentas e as funcionalidades corretas para obter indicações confiáveis sobre as tendências mais prováveis que estão por vir. Não hesite em utilizar essas ajudas preciosas e multiplicar os indicadores para obter os sinais mais seguros possíveis e obter bons lucros.

 

Os riscos que podem provocar a queda da cotação do ouro:

Evidentemente, o mercado do ouro não é isento de riscos e a história já o demonstrou em 1980 quando o preço do ouro caiu de súbito. Embora o ouro permaneça um valor muito atrativo, pelo próprio fato do risco reduzido em que está sujeito nos mercados, determinados eventos podem contribuir à queda de sua cotação. Pensa‑se, por exemplo, na venda de grandes quantidades de ouro por parte dos bancos centrais, o que pode afetar as cotações do ouro em curto ou médio prazo. Por outro lado, os riscos atrelados à saúde econômica de um país e os períodos de crises econômicas não são de mau augúrio para o metal amarelo, ao contrário, pois o ouro torna‑se frequentemente um valor‑refúgio em tais casos.

 

Primeira explicação: A BCE e Chipre

Há pouco tempo, uma decisão do BCE levou o Chipre, e mais especificamente seu Banco central, a liquidar no mínimo 10 toneladas de ouro de suas reservas. Mas esse fenômeno não explica sozinho os temores dos investidores. Esses últimos têm maior receio de que, como o Chipre, outros bancos centrais se encontrem na obrigação de vender parte dos seus estoques físicos de ouro.

Se tal caso acontecesse, assistir‑se‑ia a um fluxo maciço de ouro no mercado e, portanto, a uma queda da cotação puxada por uma oferta maior que a demanda. Notemos, com efeito, que os países europeus são os que possuem as maiores reservas de ouro e são, por outro lado, os mais impactados pela crise da dívida.

 

Segunda explicação: A política monetária americana

Outro assunto que preocupa atualmente os traders em ouro concerne à política monetária americana. Com efeito, se o governo dos EUA decide não prosseguir com sua política monetária atual, que consiste em fortes compras de ativos, o ouro poderia perder mais um pouco do seu valor.

Contudo, muitas polêmicas persistem neste ponto que permanece indefinido.

 

Terceira explicação: A alta dos mercados financeiros

A terceira explicação que se pode adiantar de um ponto de vista fundamental concerne, desta vez, à alta sensível das cotações dos principais ativos financeiros. Tal alta se deve ao sustento dos grandes bancos centrais que compram determinados títulos para injetar liquidez no mercado. Nesse contexto, tais ativos financeiros só podem subir de valor.

Ocorre que os investidores tendem atualmente a deixar de lado o ouro e outras matérias‑primas para investir em valores mais seguros dentre os quais os ativos financeiros na Bolsa.

 

 Quarta explicação: A deflação europeia

Por causa da crise e da entrada em recessão econômica de vários países da zona Euro, assiste‑se atualmente a uma forte deflação com taxas de inflação extremamente baixas. É o que explicaria a queda do preço do ouro, mas também de outras matérias‑primas como o petróleo. Aqui, é a queda da demanda e do consumo atrelada a essa deflação que leva os traders a se desviarem do ouro.

 

Quinta explicação: As causas técnicas

Finalmente, a última explicação que se deve mencionar acerca da queda das cotações do ouro concerne agora ao aspecto técnico dos investimentos. Com efeito, por causa da forte alta contínua do ouro nesses últimos anos, os especuladores foram muitos a comprarem ouro para obterem lucros.

Tais especuladores tendem atualmente a pegar seus benefícios, ou cortar suas perdas para aqueles que tomaram posição no mercado tardiamente demais. Isso incorre em um forte movimento de venda nesse mercado e contribui a fazer baixar as cotações do metal precioso. Sem contar com as vendas a descoberto, cada vez mais frequentes no ouro, e que podem, a termo, pesar também sobre os preços.

Notemos, em conclusão, que um rumor não verificado corre atualmente acerca de um suposto acordo entre determinados fundos de investimento e os Bullion Banks com vista a fazer baixar as cotações do ouro. Infelizmente, nenhuma prova ainda veio sustentar tal afirmação.

 

Volta sobre a história antiga do ouro e sua cotação ao vivo:

Lembremos aqui alguns fundamentais acerca do ouro e sua história antiga. Com efeito, inicialmente, o ouro era, antes de tudo, considerado como uma espécie de moeda, tanto quanto a prata que foi a primeira moeda baseada num metal precioso. Mas quando o papel moeda foi criado, a função do ouro evoluiu e o metal precioso passo a ser uma espécie de garantia, antes de se tornar padrão a partir do século XIX. Podia‑se então converter qualquer moeda mundial em ouro.

Contudo, as duas grandes guerras mundiais modificaram sensivelmente esse estado de coisas por causa da inflação muito forte em que resultou. Dessa forma, em 1946, assinaram‑se os acordos de Bretton Woods e o ouro ficou exclusivamente conversível em dólares americanos, com cotação fixa de USD 35,00 a onça. Nos anos que se seguiram, e por causa do crescimento americano e internacional importante, houve um forte aumento da quantidade de dólares em circulação. Assim sendo, em 1971, assistiu‑se ao fim da convertibilidade do ouro em dólares.

Foi o início de uma longa evolução da cotação do ouro.

 

A evolução histórica da cotação do ouro na Bolsa de Valores

Desde 1971, a cotação do ouro é definida pela diferença entre a oferta e a demanda, da mesma forma que todos os ativos financeiros. Assim sendo, ele passou por muitas flutuações, às vezes fortes, com um primeiro recorde altista em 1980 com 850 dólares a onça. Comparando com a cotação de hoje, e levando em conta o índice dos preços americanos da época, pode‑se considerar aquela cotação como recorde histórico, pois seria equivalente, hoje, a 2.477,00 dólares a onça.

Em seguida, e logo no mês de fevereiro de 1980, a cotação do ouro sofre uma correção baixista importante que o levará ao nível de 300 dólares, para alcançar 500 dólares entre 1982 e 2006.

Com efeito, foi em 2006 que assistimos a um novo disparo do ouro no mercado a vista e no mercado financeiro em geral, com a onça alcançando USD 1.011,25 em 2008. Infelizmente, o mercado das matérias‑primas será abalado pelos efeitos da crise econômica. No final de 2008, a cotação da onça de ouro chegava apenas a USD 690,00. Haverá de esperar 2009, com a retomada econômica, para ver outra vez disparar o preço do ouro rumo a mais um recorde a mais de 1.500 dólares a onça na primavera, e depois alcançar USD 1.908,00 em agosto de 2011, apesar de uma situação instável e com tendência baixista dos outros mercados financeiros.

Infelizmente pelos investidores, essa alta espetacular da cotação do ouro acabaria com nova correção baixista. Essa queda fora provocada por medidas aplicadas nos Estados‑Unidos e certos rumores de venda de ouro por parte dos bancos centrais. A correção baixista perdurou por alguns anos para finalmente estabilizar‑se recentemente. Os analistas, por sua vez, permanecem muito otimistas quanto ao futuro da cotação do ouro que poderia rapidamente retomar muitos pontos.

 

Como evolui a cotação do ouro em função dos fatores influentes?

Para ser capaz de analisar corretamente a cotação do ouro e, portanto, negociá‑lo de forma eficiente on‑line, você deve entender como esse ativo reage frente aos diversos elementos que influenciam seu preço.

Para tanto, o primeiro dado a ser analisado é, evidentemente, a oferta e a demanda e, claro, a diferença entre ambas. Sabe‑se, de fato, que a produção de ouro é relativamente estável no decorrer do tempo. Porém, a demanda, por sua vez, evolui continuamente e depende das necessidades dos setores da joalheria, eletrônica, indústria médica ou ainda das grandes instituições financeiras, como os bancos centrais e, evidentemente, dos investidores que especulam nessa matéria‑prima. Assim sendo, dá‑se conta das inúmeras utilizações que requerem ouro na esfera internacional. Contudo, é o setor da joalheria que gera a maior demanda anual por ouro, representando cerca de 80% dessa demanda.

O ouro é também um ativo muito volátil, pois é capaz de ter diferenças de cotação muito fortes em curtos períodos de tempo. Assim sendo, pode‑se observar, no início dos anos 2000, e até 2011, um verdadeiro disparo das cotações do metal precioso, passando de USD 250,00 para mais de USD 1.900,00 a onça. No entanto, a cotação sofreu nova queda e se estabilizou entre 1.200 e 1.300 dólares a onça. Existem várias explicações para esse fenômeno e essa capacidade de o ouro apresentar diferenças de cotação elevadas e tendências de fundo bem marcadas.

Ao realizar uma análise fundamentalista histórica da cotação do ouro, percebe‑se, de fato, que diversos fatores influenciam o sentido que as tendências tomam nesse ativo. Em primeiro lugar, sabe‑se que o ouro é considerado como valor‑refúgio e, notadamente, como alternativa para com as moedas físicas, agindo como proteção contra a inflação. Percebe‑se assim que nos períodos de forte inflação, a cotação do ouro tende a subir, já que os investidores se voltam maciçamente em busca dessa matéria‑prima, em detrimento às moedas. Os períodos de tensão econômica e de crise são também propícios à valorização do ouro que, mais uma vez, preenche seu papel de valor‑refúgio. De forma geral, quando os mercados financeiros são preocupados com uma questão econômica complexa, os investidores são mais atraídos pelo ouro como ativo.

Enfim, é interessante comparar a evolução da cotação do ouro com as taxas de juros. Com efeito, o ouro se opõe aos outros ativos financeiros, como as ações e as debentures (ou obrigações) que são geralmente apreciadas pelos investidores por sua relativa segurança. Porém, quando os rendimentos propostos na forma de dividendos ou de cupons por tais ativos caem, o ouro torna‑se um investimento mais atrativo e inversamente quando tais rendimentos aumentam.

É também importante notar que existe um fenômeno de correlação entre a cotação do ouro e a dos outros metais na Bolsa de Valores. De fato, ao comparar a cotação do ouro à da prata, notadamente, pode‑se avaliar facilmente seu valor relativo e saber se tal cotação é demasiadamente elevada ou, ao contrário, baixa demais. Sabe‑se que as cotações do ouro e da prata tendem a evoluir no mesmo sentido. Portanto, uma grande diferença de tendência entre um e outro é sinal de uma sobre avaliação ou uma subavaliação da cotação de um desses metais. Os traders mais experientes utilizarão essa diferença para desenvolverem suas análises e construírem suas estratégias.

 

De que maneira pode‑se investir na cotação do ouro na Bolsa?

Como acabamos de ver, o ouro é um ativo privilegiado para os investidores que desejam aproveitar sua volatilidade para aplicar seu dinheiro. Na verdade, existem diversas formas de especular sobre a evolução da cotação do ouro.

Você pode escolher especular sobre ouro físico, por meio de moedas ou barras de ouro. Tal ouro físico pode ser comprado por qualquer pessoa. Você terá, então, de estocá‑lo ou contratar os serviços de um prestador de serviço especializado. Evidentemente, isso gera custos adicionais que é necessário levar em conta a fim de definir a rentabilidade de sua aplicação financeira. Se você escolher estocar você mesmo seu ouro, coloca‑se a questão da segurança dos seus lingotes e moedas, o que deve ser objeto de reflexão prévia.

É também possível investir em ouro por meio do que é chamado o “ouro papel”. Trata‑se principalmente de ETF ou produtos derivados. Aqui, os ETF (Exchange Traded Funds), conhecidos como fundos de índice, são ativos baseados em determinados índices cotados em Bolsa. Esses títulos se trocam da mesma forma que as ações e funcionam por replicação do desempenho de um índice de referência. Tal índice pode ser um índice sobre ouro ou, mais comumente, um índice sobre as matérias‑primas em geral. Os produtos derivados são ferramentas de investimento mais acessíveis aos investidores individuais. Dentre os mais populares, contam‑se, claro, os CFD, ou contratos sobre diferença, que permitem tomar posições de compra ou de venda sobre a cotação do ouro. Trata‑se aqui de especular no mercado ao vivo, abrindo e fechando posições a fim de aproveitar as diferenças de cotação registradas para esse valor. Tais CFD são acessíveis a partir das plataformas de trading on‑line disponibilizadas pelos brokers ou as corretoras aos investidores.

Enfim, é possível também especular sobre a cotação do ouro por meio de alguns produtos das Bolsas de Valores, como os OPCVM ou as ações desse setor de atividade. Com efeito, esse meio de investir em ouro de forma indireta consiste em investir em ações das empresas cuja atividade é diretamente ligada ao mercado de ouro. Pode se tratar de empresas exploradoras de minas de ouro, ou ainda empresas de compra e venda do metal precioso. A escolha pelos OPCVM para investir nessas empresas e mineradoras permite aos investidores confiarem a gestão desses ativos, bem como a escolha dos títulos, a especialistas do setor das matérias‑primas.

Seja como for, os CFD permanecem, até o momento, a maneira mais direta de negociar na cotação do ouro ao vivo, porque eles permitem aproveitar plenamente cada movimento e implementar sua estratégia tanto em longo como em curto prazo.

 

Fazer previsões sobre o preço do ouro

O ouro, como qualquer matéria‑prima na Bolsa de Valores e, de modo geral, como todos os ativos financeiros, só pode ser rentável se você for capaz de fazer previsões confiáveis concernente ao seu preço, isto é, antecipar as futuras variações da cotação, seja em curto, médio ou longo prazo, conforme a estratégia de investimento planejada. Para ajudá‑lo(a) a se tornar um trader em ouro rentável utilizando os CFD, lhe propomos de descobrir aqui como realizar uma previsão sobre o preço do ouro sem ser um perito da área financeira.

 

O método mais confiável para fazer previsões sobre o preço do ouro:

O melhor método para conseguir prever com certa precisão o preço do ouro consiste em utilizar simultaneamente os dois principais tipos de análise: a análise técnica e a análise fundamentalista.

A análise técnica é, de fato, ideal, se você negocia em curto ou médio prazo e permite determinar a força de uma tendência em curso, bem como as possíveis reversões ou prosseguimentos da tendência. Vários indicadores estão a sua disposição nos gráficos financeiros dos brokers, como veremos abaixo.

A análise fundamentalista é também muito importante no âmbito de uma estratégia sobre o ouro, haja vista que o preço dessa matéria‑prima é particularmente sensível aos eventos econômicos e políticos.

 

A análise técnica para fazer previsões sobre o preço do ouro:

A análise técnica é o método mais comum para prever as evoluções do preço do ouro. Ela leva em conta diversos critérios, como a volatilidade, a cotação de abertura e de fechamento, mas também indicadores como as médias móveis, os pontos de pivô, os suportes e resistências, e outros.

Para utilizar esses indicadores, basta utilizar um gráfico que você encontrará em qualquer plataforma de trading de qualidade e que poderá personalizar. Você poderá visualizar esses indicadores e obter sinais de trading confiáveis no curto ou longo prazo. Portanto, não é mais necessário saber executar cálculos complexos, já que o software o faz no seu lugar.

 

Quais são os esquemas mais prováveis de evolução da cotação do ouro em médio prazo?

Se você planeja comprar ouro ou especular na sua cotação com uma estratégia de médio ou longo prazo, você se pergunta certamente sobre os futuros cenários mais prováveis, de acordo com os analistas desse valor.

Levando em consideração os gráficos históricos da cotação do ouro, o cenário que parece mais provável nesse início de ano 2018 é de uma tendência baixista. A mesma já iniciou‑se e tem forte probabilidade de prosseguir nos meses, e até anos que estão por vir. A situação atual do mercado do ouro se parece muito com a situação vivida nos anos 1990 que gerou uma tendência de fundo nitidamente baixista. Evidentemente, essa previsão depende também de outros fatores, como a evolução da situação econômica mundial.

Outro cenário elaborado para os próximos anos é de uma tendência neutra da cotação do ouro. De fato, é bastante possível que a cotação passe dos USD 1.280,00 para se estabilizar abaixo dos USD 1,375,00 durante certo período. Esse ponto representa um ponto de equilíbrio particularmente importante para os investidores.

Finalmente, um cenário altista da cotação do ouro ainda é possível, ainda que pouco provável, haja vista a situação atual do mercado. A possibilidade de tal tendência altista seria principalmente função da capacidade desse ativo erguer‑se acima da marca de 1.375,00 dólares, ou seja, a principal resistência técnica atual, e manter‑se acima desse nível durante várias semanas. Poder‑se‑ia então pensar num prosseguimento do movimento altista até nova resistência, dessa vez na marca dos USD 1.550,00.

No aguardo de maiores informações e sinais de alta ou de queda da cotação do ouro em longo ou médio prazo, recomendamos aproveitar‑se da volatilidade importante desse ativo em curto prazo, aproveitando os micro movimentos frequentes do ouro para implementar uma estratégia de day trading. Estratégia essa que poderá, entre outras, lhe servir de cobertura para suas posições de maior prazo, limitando os riscos de perda caso aconteça um cenário diferente daquele planejado. Para tal, os CFD são, sem dúvida, um instrumento ideal que oferece grande flexibilidade e uma incomparável rapidez de execução das ordens.

 

Classificação: 4.11 55 votos

Negociar o ouro aproveitando-se de análises precisas:

Ao investir no ouro através dos CFD oferecidos pelas plataformas de trading on-line, você poderá usar-se de análises completas e gratuitas da cotação desse ativo ao vivo, e assim ganhar um tempo precioso.

Negocie o ouro ao vivo!
75% das contas de clientes particulares perdem dinheiro, ao transacionar CFDs com este provedor. Deve ponderar se compreende como funcionam os CFD e se pode correr o risco elevado de perder o seu dinheiro.