Crise bolsista global por causa do coronavírus

  •   10/03/2020 - 15h35
  •   HARMANT Adeline

Os mercados bolsistas mundiais já vinham sofrendo há algumas semanas por causa dos medos gerados pela epidemia do coronavírus e da paralisia da economia que ela gera. Mas desde segunda-feira, os mercados parecem ter cedido literalmente ao pânico. A queda de petróleo que está ocorrendo atualmente provavelmente não é em vão, pois o barril de Brent caiu mais de 20% na segunda-feira ou 45% desde o início do ano.ano e até caiu abaixo da marca dos 36 dólares, após um novo fracasso das negociações entre a OPEP e a Rússia sobre a produção de ouro negro. Oferecemos-lhe um ponto um pouco mais completo sobre esta situação histórica.

Comece a negociar on-line
76.4% das contas de clientes particulares perdem dinheiro, ao transacionar CFDs com este provedor. Deve ponderar se compreende como funcionam os CFD e se pode correr o risco elevado de perder o seu dinheiro.
Crise bolsista global por causa do coronavírus
Direitos autorais da imagem: AFP

Uma queda nos mercados europeus ainda impensável na semana passada:

Alguns investidores estavam esperando uma recuperação nos mercados financeiros europeus no início da segunda semana de março, mas os principais índices abriram todos no vermelho na segunda-feira. O declínio global dos operadores europeus situa-se, de facto, entre 7 e 8%, empurrando assim o mercado para território de baixa.

Desde os picos de alta atingidos no final de fevereiro, algumas quedas chegaram a 20% ou até mais e os analistas estão anunciando assim o retorno efetivo do pessimismo geral do mercado. Os movimentos devem, portanto, permanecer firmemente ancorados ao lado negativo nas próximas sessões.

Deve-se notar que esta queda espetacular em todos os valores europeus ainda era impensável há algumas semanas. No entanto, hoje podemos ver que o preço do índice europeu Euro Stoxx 50 caiu quase 8,45%, enquanto o índice alemão DAX 30 perdeu 7,94% e o FTSE caiu 7,69%. O centro financeiro europeu mais afectado por esta crise, nomeadamente devido à epidemia de coronavírus que afecta o país, é a bolsa de Milão, que perdeu nada menos do que 17% desde o início da crise e que voltou a abrir a sessão com mais de uma hora de atraso. O índice italiano encerrou assim esta primeira sessão da semana com uma queda de 11,17%.

 

O centro financeiro francês também está a sofrer com esta crise:

No que diz respeito mais especificamente à bolsa francesa, a situação não é realmente melhor desde que a bolsa de Paris abriu alguns minutos mais tarde na segunda-feira, a fim de dar tempo ao operador da bolsa para ajustar o preço de abertura de algumas ações maciçamente reservadas para a queda durante o fim de semana.

No final de fevereiro, o preço do índice CAC 40 parisiense era de 6.111 pontos. No final da sessão de segunda-feira, tinha caído para apenas 4.707,91 pontos. O índice perdeu nada menos do que 23% do seu valor em poucas semanas. Só na sessão de segunda-feira, o índice registrou uma queda de 8,39%, um nível de declínio que não era alcançado desde 2008, com uma queda de 9,04% em outubro deste ano.