Comprar ações do Michelin

Nossas dicas para negociar ações da Michelin

Número da dica 1

A saúde do mercado automobilístico que estiver em consonância direta com os produtos de entrada da marca;

Número da dica 2

A taxa de desemprego, que tem uma influência direta sobre as trocas de pneus;

Número da dica 3

As atualidades e as declarações dos seus principais concorrentes, como a Goodyear;

Número da dica 4

Os objetivos financeiros da empresa até 2020 são muito ambiciosos, com o anúncio de um volume de negócios almejado em mais de 21,2 biliões de dólares, graças aos 5.000 pontos de venda franqueados ou integrados mundo afora. As margens operacionais consideradas deveriam chegar em 11 a 15% no segmento de veículos de turismo, 9 a 13% no setor de caminhões e em 17 a 24% no setor de pneus especiais. O grupo também considera uma economia sobre custos de mais de 1,2 bilião de euros e ainda conseguir um fluxo de tesouraria livre de 1 bilião de dólares. Portanto, é fortemente recomendado acompanhar a evolução dos resultados e o alcance desses objetivos, a fim de avaliar as perspectivas de evolução desse título financeiro;

Número da dica 5

O fato de a empresa Michelin ser controlada pela própria família Michelin, que possui 4% do capital e 5,17% dos direitos a voto pelo fato de ser uma sociedade em comandita por ações, impede qualquer tentativa de OPA, o que pode, portanto, desmotivar alguns investidores. É preciso, portanto, levar também em consideração esse parâmetro antes de começar a análise da cotação da ação Michelin e tomar posição no mercado.

Negocie a ação Michelin!
80.5% das contas de clientes particulares perdem dinheiro, ao transacionar CFDs com este provedor.
Para os investidores, os grandes grupos franceses inscritos no CAC 40 têm a vantagem de apresentar informações claras e simples de encontrar. Portanto, é interessante possuir alguns títulos dessas empresas na sua carteira financeira, ou ainda negociar diretamente sobre a cotação dessas ações a partir de uma plataforma de trading. Neste artigo, lhe propomos descobrir algumas informações importantes acerca da ação Michelin, sua análise e sua cotação histórica.  

 

Apresentação geral da empresa Michelin:

Reunindo marcas tão conhecidas quanto Michelin, BFGoodrich, Kleber ou Uniroyal, o grupo Michelin é um dos líderes internacionais da concepção, produção e comercialização de pneumáticos.

Em mais de 78%, a sua atividade consiste na venda e na distribuição de pneumáticos destinados a diversos tipos de veículos, utilitários e de turismo, mas outra parte de sua atividade concerne à fabricação de pneumáticos agrícolas e para a aviação. A maior parte do seu volume de negócios é auferida na França e na Europa.

 

 Concorrência da ação Michelin:

O grupo Michelin conta atualmente dentre as empresas internacionais mais importantes no setor de atividade de pneumáticos. No entanto, ele não está sozinho nessa área e deve enfrentar diversos concorrentes em várias partes do mundo. Para melhor apreender sua ação na Bolsa de Valores, veja a seguir os principais concorrentes da Michelin, com suas quotas de mercado no setor.

 

Alianças estratégicas desenvolvidas pelo grupo Michelin:

O grupo Michelin desenvolveu também várias parcerias com diversas grandes empresas. Convidamo-lo(a) a descobrir as principais empresas parceiras dessa empresa a seguir.

 

Vantagens e forças da ação Michelin enquanto ativo financeiro:

A ação Michelin apresenta boas vantagens para os investidores que decidem especular sobre sua cotação ao vivo com os CFD. Em primeiro lugar, pode-se destacar que o grupo Michelin é atualmente o número um dos pneumáticos no mundo. Ele possui aproximadamente 15% das quotas de mercado, ou seja, quase a mesma coisa que seus concorrentes diretos Bridgestone e Goodyear. Uma vantagem reforçada por uma rápida tomada de quotas de mercado nos países emergentes que deverá consolidar sua posição de líder em longo prazo.

A estrutura do grupo Michelin e sua organização em três divisões distintas, ou seja, uma divisão de pneus para veículos de turismo e utilitários que representa 57% das vendas, uma divisão de pneus para caminhões com 29% e as especialidades que representam 14% das vendas, é também um dos pontos fortes da empresa. O grupo goza ainda de uma excelente distribuição geográfica de suas atividades, com um volume de negócios bem equilibrado entre os diversos mercados: americano, europeu e o resto do mundo.

Se os concorrentes da Michelin estão expostos à saúde econômica da indústria automobilística, a Michelin pode contar com suas atividades de pneus de reposição, que representa mais de 75% de suas atividades, para sentir-se protegida dos imponderáveis do mercado.

A Michelin também seduz os investidores graças a sua comprovada política de preços, baseada na redução da exposição às cotações da borracha natural, da fuligem e outras matérias-primas derivadas do petróleo que representam 40% de suas compras. Para tanto, o grupo Michelin reduz constantemente sua dependência ao produzir as matérias de que precisa e, cada vez mais, de forma ecoresponsável.

O grupo pode também contar com margens confortáveis em produtos específicos, como os pneus especiais destinados à aeronáutica, à agricultura, construção civil, minas, ou ainda à competição motociclista. De fato, sua linha de pneus ‘premium’ apresenta margens acima do dobro dos pneus clássicos.

Por outro lado, a Michelin pode apoiar-se nos seus altos investimentos na área de inovação e pesquisa, notadamente pelo melhoramento do seu processo produtivo, por meio de uma automatização cada vez maior de suas plantas industriais na Europa, bem como um deslocamento importante de sua produção em países emergentes.

Outro ponto forte da Michelin concerne às suas recentes inovações no setor de pneus ‘verdes’ oferecendo uma leve resistência na rodagem e que deveriam, a termo, representar mais de 40% do mercado de pneus para veículos de turismo, contra somente 10% hoje.

Finalmente, o grupo Michelin faz parte das empresas mais sólidas financeiramente em face dos seus concorrentes, e sua notação nesse sentido é particularmente elevada. Nota-se também que o grupo sabe demonstrar generosidade para com seus acionistas ao praticar, entre outras, a compra de suas próprias ações e se comprometendo-se com um ‘payout’ mínimo de 35%.

 

Inconvenientes e fragilidades da ação Michelin enquanto ativo financeiro:

Evidentemente, o título Michelin não apresenta apenas vantagens para os investidores e é importante levar em conta suas fragilidades antes de atirar-se na sua especulação on-line.

Levar-se-á em conta, notadamente, o fato de que o mercado do pneumático atravessa uma fase de estagnação um pouco preocupante faz alguns anos. Tal sentimento é reforçado por uma visibilidade fraca da atividade voltada para os caminhões, em especial por causa de uma queda da demanda na América do Norte e na América do Sul, acompanhada por uma oferta cada vez mais competitiva por parte do mercado asiático que provocou, em 2016, o fechamento de três plantas de produção na Europa.

Embora a Michelin se proteja das flutuações de preços das matérias-primas, como a borracha, a queda de preço desta beneficia, de fato, os concorrentes do grupo e, notadamente, os concorrentes low-cost.

Enfim, e apesar do bloqueio do capital, a ação Michelin permanece um pouco cara para compra, se comparado com as perspectivas de longo prazo.

Invista on-line com a ação Michelin:

A ação Michelin lhe permite especular on-line por meio dos brokers do mercado. Com efeito, várias são as plataformas de trading on-line que oferecem esse título aos investidores individuais por meio de diversos instrumentos.

Negocie a ação Michelin!
80.5% das contas de clientes particulares perdem dinheiro, ao transacionar CFDs com este provedor.