Ações declinam diante da incerteza sobre a recuperação

  •   26/06/2020 - 10h46
  •   DEHOUI Lionel

Muitos países reiniciaram a atividade econômica após o aparente declínio da pandemia no setor da saúde. Hoje, após um período de desaceleração da propagação do coronavírus, o número de novos casos de infecção está a aumentar. Segundo alguns analistas, a desconfinação é muito precoce e todos os actores económicos temem uma nova vaga da epidemia. Os principais mercados financeiros são naturalmente impactados, mas de forma negativa. Nesta quinta-feira, as principais bolsas do continente europeu abriram a sessão no vermelho, devido às dúvidas observadas nos mercados. Em Paris, o CAC 40 caiu 0,8% para 4.832,64 pontos (08H00 GMT), o FTSE 100 caiu 1,1% em Londres e o Dax perdeu 0,23% em Frankfurt. O EuroStoxx 50 caiu 0,67%, o Stoxx 600 por 0,58% e o FTSEurofirst 300 por 0,73%. Estes números levam os investidores a temer uma desaceleração na recuperação.

Ações declinam diante da incerteza sobre a recuperação

Algumas decisões importantes

Nos Estados Unidos, alguns estados publicaram números recorde de novos casos de contaminação por Covid-19. Estes incluem a Carolina do Sul, Florida e Oklahoma. Em 24 horas, os Estados Unidos viram mais de 36.000 casos adicionais. Isto não está longe do pico registado no final de Abril (36.426). Os medos foram reacendidos pela decisão de alguns governadores de colocar em quarentena os viajantes de outros nove estados.

Esta decisão foi tomada pelos governadores de Connecticut, Nova Jersey e Nova Iorque. A isto acresce a decisão de Walt Disney na Califórnia de atrasar a reabertura de hotéis e alguns parques temáticos. Além disso, a gigante digital Apple decidiu fechar as suas lojas. Segundo o analista-chefe da Avatrade, Naeem Aslam, os investidores estão fazendo tudo para evitar ativos de risco.

Nota: O analista aponta que Wall Street está à espera de boas notícias sobre a pesquisa da vacina covid-19. Ao mesmo tempo, ele observa que o tema das tensões entre a Europa e os EUA também está de volta nas notícias. No entanto, os investidores estarão atentos à reunião de política monetária do BCE, bem como aos números do PIB e do emprego dos EUA.

 

Alguns valores na Europa

Em termos de acções, os vários sectores europeus estão a sofrer um declínio nas acções, tal como aconteceu no dia anterior. Naturalmente, o sector do turismo e dos transportes apresenta o declínio mais acentuado (-1,47%). É seguido de perto pelo setor energético, que cai em 1,14%. O setor bancário está em queda de 0,72%. No Reino Unido, EasyJet abandona 6,73% com o levantamento de 419 milhões de libras esterlinas através de uma colocação de capital. Esta última é feita em resposta à pandemia.

Por outro lado, a Lufthansa Airlines está com uma recuperação de 12,86% após uma decisão importante. De fato, o empresário Hermann Thiele anunciou a aprovação do programa de apoio de 9 bilhões que o grupo de companhias aéreas negociou. Da mesma forma, no dia seguinte à publicação de um acordo extrajudicial no caso Roundup (EUA), a Bayer levou 0,77%. Mais de 100.000 queixosos serão compensados por este acordo.