Comprar ações do Renault


Classificação: 4.09 11 votos
 
Serviço CFD – Risco de perda do capital
As grandes companhias francesas cujas ações são cotadas no mercado financeiro representam polos de investimento interessantes para os traders e os investidores franceses e europeus. Dentre os títulos mais atrativos, encontram-se regularmente grandes nomes da indústria automobilística. É assim o caso do grupo Renault que lhe propomos de descobrir neste artigo mais detalhadamente, a fim de aprender a identificar os eventos mais pertinentes para realizar a análise de sua cotação.

 

Acerca da empresa Renault:

Logo após o grupo PSA (Peugeot-Citroën), o grupo Renault é a segunda montadora de automóveis francesa. Seu volume de negócios global é definido por diversas atividades, dentre as quais, evidentemente, a venda de veículos automóveis, mas também as prestações de serviços, como financiamentos, garantias e serviços de manutenção.

Com nada menos do que 32 plantas de produção espalhadas pelo mundo, o grupo conta com um efetivo de 121.807 funcionários e desenvolve suas atividades na Europa, América e Ásia.

 

Os principais concorrentes da Renault:

A concorrência da empresa Renault se resume a um só fabricante de automóveis, o grupo PSA. Recentemente,em 2016, a Renault conseguiu se posicionar novamente em primeiro lugar no ranking dos fabricantes de automóveis franceses apesar do PSA ter liderado por mais de 30 anos.

O grupo Renault vendeu mais de 3,18 milhões de veículos em todo o mundo em 2016,ou seja, umaumento de 13,3% contra 3,15 milhões do grupo PSA. No entanto, os dois fabricantes continuam disputando a liderança.

Dentre os concorrentes internacionais da Renault, temos as seguintes empresas:

É importanteacompanhar asinformações de cada uma dessas empresas a fim de analisar corretamente as possibilidades de alta ou de queda da ação da Renault,pois a concorrência nesse setor é extremamente acirrada e poderapidamente mudar o cenário em função de eventos específicos.

 

Os principais parceiros da Renault:

O grupo Renault procura constantemente criar parcerias com determinadas empresas concorrentes ou complementares no intuito de preservar seu posicionamento no mercado automobilístico.

Foi assim que, em 2016, ele se associouao grupo Microsoft a fim de desenvolver um modelo de veículo conectado utilizando as tecnologias informáticas mais inovadoras.

Há muito tempo, a Renault assinou uma parceria com os lubrificantesda marca Elf, uma filial do grupo Total, para impulsionar esses produtos.

Em 2015, o grupo Renault tentou também criar uma parceria com o fabricante de automóveis Mitsubishi, mas finalmenteo contratofoi anulado. Essa parceria, para a Renault, visavafornecer ao grupo japonêscarros sedan de três portas para seu mercado norte-americano.

Outras parcerias provavelmente surgirão em breve e é importante acompanhar de perto as notícias.

 

Análise da cotação da ação Renault:

Como muitas empresas inscritas no CAC 40, a ação Renault atravessou momentos difíceis em 2009, no início da crise econômica. Mas, desde então, a cotação dos seus títulos não para de ganhar pontos, o que faz dessa ação um investimento interessante em curto ou longo prazo.

Os analistas observam, aliás, a forte tendência altista sobre os títulos da Renault em 2014 e 2015, tendência que segue em alta.

 

Dados financeiros importantes acerca da ação Renault:

Para fazer uma boa análise da provável evolução da cotação da ação Renault, é essencial, evidentemente, conhecer todas as informações citadas acima, inclusive as atividades da empresa, a organização desse grupo ou ainda os eventos que marcaram sua história recente ou o histórico de sua cotação. Mas você deve também conhecer alguns dados financeiros informativos, porém tão importantes quanto:

  • Em 2017, a capitalização total da empresa Renault no mercado alcança a marca de23.634,12 milhões de euros;
  • Ainda em 2017, contam-se aproximadamente 295.722.284 títulos da empresa Renault circulando no mercado financeiro;
  • A cotação da ação Renault é atualmente inscrita no Compartimento A do mercado Euronext Paris na França;
  • O grupo Renault faz também parte da composição do índice nacional francês de referência, o CAC 40. Trata-se, portanto, de uma das 40 empresas francesas com a maior capitalização na Bolsa de Valores;
  • O painel de acionistas da empresa Renault se compõe, com 19,74% das partes, pelo Estado Francês, 15% das partes são de Nissan France, 5,20% são daBlackRock, 3,10% da Daimler, 2,09% das partes pertencem aos funcionários da empresa, e permanecem 1,57% em autocontrole.

Evidentemente, as informações apresentadas aqui são baseadas em dados de 2017 e podem evoluir com o tempo. No entanto, esses dados poderão lhe servir de base para implementar estratégias eficientes on-line.

 

Histórico econômico e financeiro da empresa Renault:

Sem precisar voltar às origens da empresa Renault, é interessante, para um investidor, tomar conhecimento do seu histórico recente concernente aos eventos econômicos e financeiros que marcaram o grupo. Com efeito, ao interpretar o impacto desses eventos sobre a análise técnica histórica das cotações, torna-se fácil antecipar as próximas variações. Segue, portanto, uma recapitulação dos eventos econômicos que afetaram essa empresa no decorrer dos últimos anos.

  • Em 2010, a Renault efetua uma troca de 3,1% do seu capital com a Daimler após um acordo de cooperação;
  • Em 2011, a Renault lança sua linha de veículos elétricos, apesar de uma demanda muito fraca à época;
  • Em 2013, a Renault e a Russian Technologies assinam uma parceria com a Lada-Avto VAZ e criam assim uma co-empresa. No mesmo ano, a Renault lança a produção do Crossover Renault Captur que iria se tornar o veículo dessa categoria mais vendido na França. Em dezembro, o grupo conclui um acordo com aDongfeng Motor Corporation para a produção de veículos na China.
  • Em 2015, a Renault India Private Limitedcomeça a vender o Renault Lodgy e anuncia seu novo SUV citadino. O mesmo ano, o grupo apresenta seu novo SUV, o Renault Kadjar. O governo francês anuncia o crescimento temporário de sua participação no grupo passando de 15% a 19,73% para barrar uma votação recusando o benefício do voto duplo aos investidores em médio prazo (dois anos). A moção será recusada.
  • Em 2016, a Renault apresente um carro conceitual esportivono Mundial do Automóvel que anuncia o futuro estilo inovador da marca. As perdas registradas depois da entrada da Atvo VAZ no capital da empresa somam 1,1 bilhão de euros por causa da queda de vendas. Ainda em 2016, a Renault faz um acordo assinado com o ministro da Indústria do Irã que permite à marca produzir mais veículos com a criação de uma empresa comum com o IDRO, um fundo de investimento e de renovação da indústria daquele país. A fábrica iniciará suas atividades em 2018 com uma capacidade de produção de 150.000 unidades.

 

Como o grupo Renault é organizado?

Também é importante, para um investidor, de se debruçar sobre a organização interna do grupo Renault a fim de entender como e por quem são tomadas as grandes decisões da empresa.

Atualmente, a empresa Renault faz parte do Grupo Renault, no qual encontram-se também outras filiais como DIAC, Dacia, ou ainda Renault Sport. A Renault possui 80% do departamento de automóveis da empresa coreana Samsung, e daí criou a filial Renault Samsung Motors, ou RSM.

A Renault se associou à Nissan, logo no início do século XXI, a fim de concorrer com alguns gigantes da indústria automobilística como General Motors ou Toyota. Essa aliança é composta, por um lado da Nissan, e por outro lado do Grupo Renault, com a Renault, Dacia e Renault Samsung Motors.

Graças a essa parceria, as duas marcas puderam conservar sua identidade própria ao mesmo tempo em que propunham veículos concebidos nas mesmas plataformas e assim reduzir os custos de produção para garantir preços competitivos frente a esses gigantes. O grupo hoje é classificado na 10ª posição dos construtores de automóveis do mundo.

Evidentemente, essa organização é suscetível de evoluir com o tempo, na oportunidade de novas aquisições ou fusões do Grupo Renault, bem como das decisões econômicas que, então, também serão reavaliadas e evolutivas.

 

Quais são as vantagens e os pontos fortes da ação Renault enquanto ativo financeiro?

Se você cogita investir em breve na cotação da ação Renault, você talvez conhece os pontos fortes desse valor mobiliário. Se não for o caso, lhe propomos de descobri‑los agora com uma relação dos principais trunfos dessa empresa para os investidores.

Uma das maiores vantagens da empresa Renault concerne, sem dúvida alguma, ao seu posicionamento no mercado mundial da indústria automobilística. Lembremos, de fato, que a Renault é atualmente a quarta colocada no ranking internacional nesse setor, possuindo cerca de 10% do parque mundial de automóveis graças, evidentemente, aos veículos de marca Renault, mas também com as marcas Dacia e Renault‑Samsung.

Lembraremos também, como ponto forte, a estratégia eficaz de desenvolvimento das atividades da empresa no mundo, com uma excelente repartição de suas atividades entre a Europa, a Rússia a Turquia, a Argélia e a América latina para a marca Renault, e na Europa e a Ásia para a marca Nissan.

O grupo Renault apresentou um forte crescimento no decorrer dos últimos anos. Este se deve, em grande parte, a uma linha de veículos de entrada, com preços baixos, por meio da linha Entry da Dacia. A Renault soube também aumentar seu crescimento por meio da conquista de novas porções de mercado, notadamente na China, Índia, Japão e Brasil, países em que ela realiza mais da metade de suas vendas.

Com efeito, a Renault se posiciona estrategicamente bem no mercado da produção asiática, muito cobiçado por seus principais concorrentes. Ela, notadamente, multiplicou por dois sua capacidade de produção na Coreia do Sul e logrou uma retomada de emplacamentos na Europa, o que lhe permite fazer economias reais sobre seus custos. O grupo também compartilhou a ferramenta industrial de sua filial Nissan com o braço da Renault, o que contribuiu, mais uma vez, para baixar seus custos de produção e ganhar em competitividade. Graças a essa estratégia, o grupo realizou uma margem operacional de 5,7% em 2015 e mostrou sua capacidade em controlar seus fluxos de distribuição reduzindo drasticamente seus estoques.

Ainda no quesito do crescimento internacional, o grupo Renault dispõe atualmente de uma vantagem inegável frente aos seus concorrentes, haja vista que ele foi o primeiro fabricante de automóveis a aproveitar a abertura do mercado iraniano.

Outro trunfo fundamental do grupo Renault concerne a sua engenharia financeira, notadamente com a operação exitosa de compra de ações da empresa Nissan em 2016 que lhe permitiu conservar a maioria das partes de mercado desta filial, gerando ao mesmo tempo vários bilhões de euros em 2016.

Graças a sua estratégia financeira e seus esforços de redução de sua dívida, a empresa Renault deveria finalmente aproveitar‑se de uma elevação de sua nota de desempenho pelas principais agências de notação e, portanto, ganhar mais confiança por parte dos investidores.

Enfim, os investidores que compram a ação Renault apreciam também a distribuição direta dos dividendos aos acionistas do grupo, provenientes de suas diversas participações.

 

Quais são os defeitos e os pontos fracos da ação Renault enquanto ativo financeiro?

Vai sem dizer que a ação Renault, da mesma forma que outros títulos financeiros, não apresenta somente vantagens do ponto de vista dos investidores. Portanto, e antes de começar a negociar esse título na Bolsa, você deve levar em conta alguns defeitos desse valor mobiliário. Segue, portanto, uma nota sobre os principais pontos fracos dessa empresa francesa.

Em primeiro lugar, é preciso observar que a implementação da proposta Entry não trouxe apenas benefícios ao grupo Renault. Com efeito, ela até prejudicou a imagem do grupo e essa nova linha poderia sujar definitivamente a notoriedade das marcas Renault e Dacia nos países em que o grupo é historicamente presente. Além disso, essa nova linha de veículos obriga a Renault a aumentar muito seu volume de vendas.

Nota‑se também que os veículos de marca Renault geram uma rentabilidade insuficiente com relação aos veículos da marca Nissan, o que poderia gerar um problema em longo prazo.

Outra ameaça que o grupo vai ter de enfrentar nos próximos anos concerne à crise do mercado de automóveis na Rússia, no Brasil e na América latina que, atualmente, mostram um forte recuo.

Os investidores ficam também muito cautelosos no que se refere ao êxito da estratégia dos veículos inteiramente elétricos desenvolvida pela Renault, sabendo que tal mercado é considerado como muito promissor, porém também muito concorrido no contexto de contestação dos sistemas antipoluição dos veículos a óleo diesel na Europa e uma vontade dos governos europeus a favorecerem a compra de veículos não poluentes.

Uma demanda alta, superior ao esperado, juntamente com custos de lançamento elevados, poderia também pesar sobre a rentabilidade da empresa Renault em médio e longo prazo.

Enfim, lembremos que o grupo Renault enfrenta regularmente conflitos entre o conselho de administração da empresa e o Estado francês que ainda é acionista do grupo.

Embora o grupo Renault mostre aqui alguns pontos fracos, deve‑se constatar que seus pontos fortes permanecem superiores, o que torna, para os investidores, esse valor mobiliário interessante de se negociar.

 

Algumas recomendações para realizar uma boa análise fundamentalista da ação Renault:

Para colocar todas as chances de sucesso do seu lado e investir de forma inteligente na cotação da ação Renault, você deve imperativamente ser capaz de realizar uma análise técnica pertinente, mas também levar em conta os principais indicadores fundamentalistas suscetíveis de influenciar a cotação desse título. Segue, portanto, uma lista dos principais elementos a serem considerados:

  • A evolução da imagem da empresa Renault e seu impacto no mercado europeu deve ser vigiada de perto pois o grupo é cada vez mais considerado como montadora “de massa”;
  • Os objetivos da empresa, seja em termos de volume total de negócios, de margem operacional ou desenvolvimentos diversos, são, claramente, de importância capital no âmbito de suas análises fundamentalistas da ação Renault. Tais objetivos são regularmente comunicados pelo grupo por meio de diversos comunicados oficiais;
  • O plano “Produtos” implementado pelo grupo Renault também deverá ser acompanhado de perto pelos investidores, notadamente no que se refere aos seus retornos sobre o lucro anual da empresa. O alcance de um fluxo de caixa positivo e sua manutenção fazem parte das preocupações principais da empresa;
  • A capacidade da marca em se posicionar no mercado de veículos de baixo custo é, evidentemente, um dos maiores desafios atuais do grupo;
  • Os avanços tecnológicos na área de veículos limpos e a capacidade de a Renault se posicionar nesse mercado promissor, porém com muitos concorrentes, terão um impacto importante quanto a atratividade desse título para os investidores;
  • Finalmente, você não esquecerá de levar em conta a evolução das partes de mercado da empresa no plano internacional, bem como seu posicionamento frente aos diversos concorrentes mais fortes nesse setor de atividade.

Graças às indicações que lhe revelamos nesse artigo, você está agora em condições de realizar suas próprias análises técnicas e fundamentalistas, levando em consideração os diversos indicadores mencionados acima. Por meio dessas simples recomendações você poderá antecipar as futuras variações da cotação desse título no mercado financeiro e, dessa forma, lhe será mais fácil implementar suas estratégias de investimento ao tomar suas posições em função dos sinais de compra ou de venda que obterá através de suas análises.

Investir na Bolsa com a ação Renault:

Não espere mais tempo para aproveitar suas oportunidades de negociação on line e teste seu conhecimento apostando sobre as variações da cotação da ação Renault hoje mesmo! Para tanto, basta jogar, quer na alta, quer na queda.